19 de julho de 2010

Lua Vermelha.

Capitulo 3

"Quando foi que nós nos deixamos envolver desse jeito?
Como nao percebemos que o amor nos alcançou?
Seremos capaz de vive-lo?
 ou deixaremos ele morrer sem realmente sabe-lo?"



Imprinting

Eu nao sabia o que fazer, as palavras de meu pai rodeavam em minha mente a cada segundo.
"O nome dele é Symon, ele se transformou tem apenas um ano"
Symon era um lobo.
Porque ele nao me disse? E como eu nao percebi?
Alice tinha me dito que eu estava com cheiro de cachorro naquele dia, mais eu nem dei conta porque meu pai estava la também.
Só havia um lugar em que eu poderia encontrar Symon aquela hora da noite, a floresta.
Corri ate la sem olhar pra tras, eu estava com medo de ouvir a verdade de seus labios, mais ao mesmo tempo eu estava aliviada por ele nao ser apenas um simples mortal.
Quando cheguei a floresta, meus pés diminuiram a velocidade imediatamente, eu comecei a caminhar ate chegar no lugar em que ele sempre ficava.
E la estava ele, sentado no velho tronco de arvore quebrado olhando para o céu.
Ele percebeu que eu estava ali e ficou de pé.
-Isabell? O que voce esta fazendo aqui? - perguntou ele me olhando com uma expressao surpresa.
-Porque voce nao me contou? - perguntei indo direto ao assunto - porque nao me contou que era um lobo?
Ele arregalou os olhos.
-Eu... como voce ficou sabendo disso? - perguntou ele.
-Nao importa como eu fiquei sabendo. Porque voce nao me contou? - eu estava com raiva por ele ter mentido pra mim, meus olhos agora estavam cheios de lagrimas.
-Eu nao podia, e também nao queria que voce soubesse que eu era um monstro - disse ele friamente.
-A Catherine, ela foi seu imprinting nao foi?
-Sim - confessou ele.
-Ela nao morreu em um acidente de carro - falei - ela foi morta por um...
-Vampiro - ele completou a frase.
Ele se virou e se sentou de novo no tronco de arvore, eu sentei ao lado dele.
-Como voce descobriu isso? - perguntou ele.
Nao havia mais sentido em mentir pra ele, mais eu nao podia contar a verdade sobre mim, nao ainda.
-Eu nao entendo, como foi que ela morreu? - tentei mudar de assunto.
-Nao tente mudar de assunto - pediu ele - Como voce descobriu?
-Tudo bem - suspirei derrotada - eu ouvi meus pais conversando...
-E...? - insistiu ele.
-Meu pai é o lobo alfa da matilha agora, eu ouvi ele conversando com minha mae que estava tendo problemas na reserva e ele falou seu nome - murmurei.
Symon continuou calado.
-Meu nome é Isabell Cullen Black Swan.
-Nao, nao - ele levantou se afastando de mim - voce é uma Cullen? Uma vam....
-Nao, eu nao sou desse jeito que voce esta pensando, eu vou metade humana, metade lobo e metade vampira - falei.
-Como isso é possivel?
-Eu nao sei, meus pais...
Ele suspirou pesadamente.
-Tem ideia do quanto eu odeio voces? Voces acabaram com a minha vida. Tem ideia do quanto eu quero te matar agora? - ele falava cuspindo as palavras na minha cara.
Eu entendi na mesma hora que ele nao falava da minha familia, mais sim da nossa especie.
-Voce nao vai fazer isso - sussurrei.
Ele nao podia estar falando serio.
-É melhor voce ir embora - disse ele friamente,  seu corpo todo estava tremendo.
Eu nao tinha medo dele, mais eu sabia que se eu ficasse, nao seria bom pra nós dois.
Eu me virei e fui embora.
Eu cheguei em casa uns minutos depois, meus pais nao perceberam que eu sai, eles ainda estavam conversando.
Eu deitei na cama, estava confusa com tudo o que tinha acontecido.
Algumas lagrimas escorreram sobre minha face, Symon agora me odiava, e eu nao sabia se o veria novamente.


(...)



Uma semana passou e ele nao apareceu mais, eu ja tinha me arrependido completamente de ter contado a ele a verdade naquela noite.
-Isabell o que acha de ir a La Push hoje? - perguntou meu pai de repente.
-Claro, é uma otima ideia - falei concordando.
Eu gostava de ir a La Push, la era minha segunda casa, ou a terceira.
-Eu queria fazer uma surpresa pra sua mae a levando pra jantar - disse meu pai.
-Ja entendi - falei.
Fui ate meu quarto, peguei algumas roupas e as coloquei em minha mochila.
Logo depois meu pai me deixou em La Push na casa de Billy.
-Isabell - Billy sorriu ao me ver - estava com saudades de voce.
-Eu também vô - murmurei indo abraça-lo.
-Como estao todos os outros? - perguntou ele
-Estao bem; e como anda as coisas por aqui?
-Tudo na mesma - disse ele.
Eu fui ate o quarto que era de meu pai e deixei minhas coisas, ouvi alguem bater na porta, fui ver quem era.
-Isabell? - perguntou Seth quando eu abri a porta.
-Oi Seth - falei.
-Caramba como voce cresceu - disse ele.
Eu ri.
-É voce também mudou - murmurei.
-Oi Seth - disse Billy.
-Oi Billy - respondeu Seth - e como estao os outros? - perguntou Seth olhando pra mim.
-Estao bem, obrigada
-Mande um abraço a todos pra mim.
-Claro, claro - sussurrei.
-Isabell, vai dar uma volta enquanto Seth e eu conversamos - pediu Billy.
Eu assenti.
Fui dar uma volta na praia, estava ventando um pouco, o sol ja estava se pondo.
Fiquei observando o mar por um tempo sentada na areia, a cena era linda, o entardecer.
-Oi - falou alguem ao meu lado.
Meu coraçao bateu mais forte ao ouvir aquela voz, que eu reconheceria em qualquer lugar.
Era Symon.
-Oi - murmurei.
-Eu devia ter adivinhado que te encontraria aqui - disse ele.
-Tudo bem, eu ja estava indo embora mesmo - falei levantando pra ir embora.
-Nao espera - falou ele pegando meu braço - eu nao quero que voce vá.
Eu me virei pra olha-lo.
-Porque voce sumiu? - perguntei.
-Eu precisava ficar sozinho por um tempo pra entender...
-Entender o que? - eu o interrompi.
-Tudo o que estava acontecendo... comigo - disse ele.
Ele começou a caminhar deixando que a pequena onda da praia molhasse seus pés.
-Agora quem nao esta entendendo nada sou eu - murmurei.
-Voce foi a unica pessoa com quem eu conversei depois de todo esse tempo... a unica que realmente conseguiu me entender - ele hesitou.
-Continuo confusa - falei.
-Eu nunca pensei que um dia pudesse sentir isso novamente.
-Sentir o que? - perguntei.
Ele pegou minha mao e a colocou sobre seu paito, seu coraçao estava batendo como louco.
-Viu? Senti isso? - perguntou ele.
Eu assenti
-Mais o que isso significa? Que voce esta feliz?
-Sim, eu estou feliz porque nunca pensei que pudesse amar alguem tao intensamente de novo - disse ele - vai parecer um pouco estranho o que vou dizer mais...  - ele hesitou - eu estou apaixonado por voce Isabell.
Eu nao esperava ouvir aquilo, meu coraçao bateu ainda mais forte.
Ele me olhava esperando uma resposta. Mais o que eu ia dizer?
-Nao brinque comigo desse jeito por favor – pedi puxando minha mao, que ele segurava.
-Isabell, eu nunca brincaria com os sentimantos de alguem, eu estou apaixonado por voce - murmurou ele.
Eu fiquei sem reaçao de novo.
-Qual é o problema? - perguntou ele.
-O problema é que... eu sinto exatamente a mesma coisa por voce - falei.
Ele sorriu.
-Nao sabe como é bom ouvir isso - ele falou sorrindo.
Ele se aproximou um pouco mais de mim, eu me afastei.
-Voce disse que nao me queria por perto, disse que queria me matar. Porque isso agora? - sussurrei lembrando da ultima vez que eu o vi.
Ele ficou serio novamente.
-Voce nao entendi - ele disse balançando a cabeça - eu odeio os vampiros, eu realmante queria te matar, mais... - ele hesitou - eu precebi que se fizesse isso, nao conseguiria viver sem voce.
Ele estava me deixando cada vez mais confusa, tudo o que eu queria ouvir era ele dizer que me amava também, mais eu estava com medo de que isso fosse apenas um sonho, que acabaria quando eu acordasse.
-Eu vou entender se voce nao quiser mais me ver, eu nunca mais vou te procurar - disse ele se virando e indo embora.
-Espera - eu o chamei, ele parou e veio em minha direçao, meu coraçao estava batendo feito um louco em meu paito, eu podia ouvir o coraçao dele bater no mesmo ritmo - eu nao quero que voce va embora, eu... - minha respiraçao estava ofegante, eu mal conseguia falar, seu rosto agora estava muito proximo ao meu, eu podia sentir sua respiraçao e o calor que emanava de sua pele.
Suas maos pegaram as minhas, sua pele era tao quente que queimava na minha, uma de suas maos deslizou sobre meu braço e parou na minha nuca.
Seus labios enfim tocaram os meus em um movimento leve e intenso, a outra mao dele subiu pra minha cintura puxando-me mais pra perto, minhas maos automaticamente deslizaram sobre seu braço e eu precionei ainda mais seus labios contra os meus, seus labios eram macios e quentes, mais ao mesmo tempo eram anciosos aos meus.
Ele afastou um pouco seu rosto.
-Eu esperei tanto tempo pra sentir isso novamente - ele pegou minha mao de novo e a colocou sobre seu peito onde seu coraçao batia desesperadamente.
-Eu nao quero que voce se afaste de mim, nunca - sussurrei.
Ele sorriu.
-Que bom, porque eu nao vou.
Ele sorriu e me beijou novamente, seus labios eram urgentes aos meus, seus braços me envolveram num abraço onde eu permaneceria pra sempre.
Eu nunca imaginei que pudesse sentir tais emoçoes, eu estava vivendo um sonho.
Tudo estava perfeito.
-Nossa - suspirei.
-O que foi? - perguntou ele.
-Isso é tao bom, eu nunca pensei que pudesse sentir isso, parece ate um sonho - sussurrei.
-Tem razao, parece mesmo, e eu nao quero acordar dele nunca mais - disse ele.
Nós ficamos ali abraçados por um tempo, uns minutos depois eu me lembrei de Billy e que tinha que ir embora.
-Caramba, que horas tem? - perguntei de repente.
-Sete horas - respondeu ele olhando o relogio.
-Eu tenho que ir - falei me soltando de seu abraço.
-Nao, é cedo ainda, fique mais um pouco - pediu ele me abraçando novamente.
-Eu queria, mais nao posso, meu avô esta me esperando - murmurei.
-E quando vou te ver de novo? - perguntou.
Eu sorri.
-Amanha, na floresta, na mesma hora de hoje - eu disse.
Ele me beijou mais uma vez, dessa vez foi diferente, seus labios nao eram mais urgentes nem anciosos aos meus, ele eram apaixonados, e foi melhor ainda que da primeira vez.
-Eu te amo - sussurrou ele em meu ouvido.
Eu sorri, aquela foi a primeira vez que ele tinha dito que me amava.
Eu o beijei mais uma vez e fui embora.
Quando cheguei em casa, Billy ainda estava conversando com Seth.
-Boa-noite - disse sorrindo quando entrei.
-Boa-noite - responderam os dois juntos.
-Seu pai ligou - disse Billy.
-O que ele disse?
-Ele falou que amanha a noite irá passar aqui pra te pegar - disse Billy.
-Tudo bem - falei indo para o quarto.
Uns minutos depois Billy bateu na porta do quarto.
-Entre.
-Ja esta pronta? - perguntou ele.
-Pronta pra que? - perguntei confusa.
-Hoje tem reuniao do conselho, nós vamos nos reunir no penhasco com os outros - murmurou.
-Mais, meu pai nao precisa estar junto?
-Na verdade nao, nós só vamos contar algumas de nossas historias para uns garotos que acabaram de chegar - disse ele.
Eu adorava quando tinha reunioes do conselho no penhasco, todos os lobos mais velhos se reuiam em volta de uma figueira pra contar as nossas historias aos lobos mais novos.
-Eu fico pronta em cinco minutos - falei.
Billy ficou me esperando na sala.
Quando eu fiquei pronta fui ate onde Billy estava, alguem bateu na porta,e eu fui ver quem era.
-Oi Seth - falei.
-Oi - disse ele - estao prontos?
-Sim estamos.
Seth nos deu uma carona ate o penhasco.
A noite parecia que ia ser longa, o céu estava com estrelas e a luz da lua refletia no mar iluminando tudo que havia ali.
A noite estava perfeita, cada vez que eu ouvia as historias dos Quileutes ficava ainda mais fascinada.
Billy estava contando a historia da terceira esposa quando chegaram mais tres garotos atrasados.
-Sejam bem-vindos - Billy os comprimentou.
Eles assentiram e se sentaram.
O mais alto deles, ficou me olhando de um jeito estranho e me incomodou, eu me levantei e me afastei um pouco, indo pra ponta do penhasco, onde estava ventando, fazendo com que a noite ficasse fria.
Um cheiro forte, amaideirado e familiar chamou minha atençao.
-Oi - Symon sussurrou em meu ouvido, eu sorri fechando os olhos.
-Oi - suspirei me virando para olha-lo - o que esta fazendo aqui? - perguntei.
-Vim ver minha namorada - disse ele - e voce?
-Sua o que? - perguntei surpresa com o que ele tinha dito.
Ele riu.
-Eu falei serio hoje mais cedo quando disse que gostava de voce - murmurou.
Eu nao sabia o que dizer.
Ele pegou minha mao e me olhou esperando que eu disesse algo, mais eu ainda estava sem palavras.
-Quer namorar comigo? - perguntou ele.
Minha voz parecia que estava presa na garganta.
-Sim ! - consegui dizer - claro que sim!
Seus braços envolveram meu corpo num abraço apertado.
Eu me lembrei que nós estavamos na presença de outras pessoas e me afastei dele, ele entendeu porque e foi se sentar envolta da fogueira ao meu lado.
Billy tinha começado a falar sobre o imprinting e eu me lembrei de que eu nao sabia se podia ter o imprinting por alguem.
Eu estava completamente apaixonada pelo Symon e nao suportaria a ideia de ter imprinting por alguem e magoa-lo.
Doia só de pensar.
Ficamos ali esperando meu avô acabar de contar todas as nossas historias e quando ele acabou eu estava um pouco sonolenta.
-Isabell vamos - alguem me chamou.
-Que horas tem? - perguntei meio grogue.
-Ja é tarde - alguem falou, Billy, eu acho.
-Eu levo ela pro carro - Symon disse.
Senti maos quentes sustentarem o peso de meu corpo.
-Durma bem meu anjo - Symon sussurrou em meu ouvido para que ninguem ouvisse - te vejo amanha.
Eu queria dizer a ele que o amava, mais eu estava cansada demais.
Fiquei com as palavras de meu avô em minha cabeça.
"O imprinting é eterno, uma vez que voce o tem por uma pessoa, sua vida muda pra sempre"
E eu sabia que minha vida dali pra frente, nunca mais seria a mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário