12 de agosto de 2010

Doce pesadelo

Capitulo XXII - Diamante raro.




- Como assim ela está em Volterra?- Perguntou Jasper descrente, ou talvez já entendendo tudo eu estava espantado demais pra falar.
- Ela não pode estar indo pra Volterra a menos que ela se torne...- Alice também estava começando a entender as coisas.
- Vampira.- Terminou Gabriela com o tom pesaroso.
- Mas ela me disse que ela mão vai virar Vampira, que ela não quer.- Tentei argumentar inutilmente buscando uma brecha pra ver se eles estavam mentindo, eles só podiam estar mentindo.
- O que ela disse exatamente pra você?- Perguntou Diego não me entendendo.
Comecei a me lembrar de suas palavras e do que eu tinha perguntado a ela.


“- Sua tia vai te transformar?
- Não ela não quer que eu vire vampira.
- E você quer?
- Não.”


Tinha feito as perguntas de um modo errado, ela não me disse que não iria virar vampira só que não queria e que a sua “Tia” não iria te transformar e sim os Volturi.


- Por que vocês deixaram isso acontecer, como puderam entregar ela aos Volturi, não sabiam que ela não queria se tornar Vampira?- Perguntei quase berrando, se a amavam realmente não fariam isso.


Eles ficaram em silencio não sabiam o que responder, pude ver que seu culpavam, e deviam mesmo.


- Se pudéssemos mudar as coisas com certeza ela não estaria em Volterra.- Disse Diego e aposto que se ele pudesse chorar, ele choraria.
- Apesar da culpa disso tudo ser nossa, foi decisão dela ir.- Completou Gabriela não conseguindo nos olhar e encarando o chão.
- Pra nos Salvar.- Diego realmente não estava bem, em seus pensamentos só conseguia entender que estava se sentindo um covarde inútil, mas mesmo assim não conseguia ficar com pena dele pois era o meu amor que estava partindo em seu lugar.
- Mesmo assim, deixaram ela ir.- Repeti a frase dando mais ênfase.- Vocês acham que ela iria fazer o que bater em vocês e ir sozinha, Droga! Ela é só uma humana poderiam ter muito bem ter impedido, se não estivessem querendo salvar a própria pele teriam ido no lugar dela!- Sei que fui muito rude e grosso mais era isso que eu estava sentindo e não iria esconder. Talvez nem estivesse com raiva deles e sim de não ter feito nada pra impedir. Se eu a vigiasse mais, Talvez se eu tivesse ficado perto dela o tempo todo eu conseguiria fazer alguma coisa, tinha prometido que nada iria acontecer a ela e não cumpri minha promessa. Agora eu estava entendendo tudo, o comportamento estranho, as crises de choro, a música, Demetri ele estava aqui atrás dela eu estava certo, por isso que a Alice não conseguiu ver o que ele estava fazendo aqui ele veio falar com ela.


Gabriela e Diego estavam arrasados demais pra dizer alguma coisa, eu tinha tocado bem na feriada deles, no motivo pelo qual estavam sofrendo tanto. Mas eu também estava, eu a amava demais e prometi que a deixaria a salvo de qualquer coisa e falhei.


- Tem razão.- Disse Gabriela.- Nós merecemos ouvir tudo que está dizendo, somos covardes e você tem todo direito de falar.
- Não vamos brigar a culpa é toda nossa.- Reafirmou Diego. Eu já não conseguia falar mais nada só queria ir atrás dela e era isso que eu iria fazer. Prevendo a minha decisão Alice logo segurou meu braço.
- Não pode me impedir.- Disse firmemente soltando meu braço da sua mão.
- Não sabemos por que ela foi temos que ficar e saber o que realmente aconteceu.- Retrucou ela entrando na minha frente.
- Se fosse Jasper você ficaria?- Usar chantagem emocional é covardia mas por Melanie eu faria tudo.
- Não confunda as coisas Pietro.- Disse Jasper segurando meu ombro.
- Vocês não entendem.- Já estava falando entre dentes, tinha que ir atrás dela o mais rápido possível antes que fosse tarde de mais.
- Temos que saber o que realmente aconteceu antes de fazer qualquer coisa, não se precipite.- Disse Jasper me acalmando mesmo assim eu não ia voltar atrás com a minha decisão.
- Por que ela foi pros Volturi?- Perguntou Alice querendo me fazer ficar pra ouvi o que eles iam dizer.
- Tudo começou quando ela tinha 12 anos.- Disse Gabriela pensando nas palavras certas pra usar.


Realmente a tática de Alice funcionou queria realmente saber o que tinha acontecido com ela e queria já e essa era provavelmente a única chance pra eu descobrir a verdade.




Melanie


Aro andava pra lá e pra cá com a mão no queixo, e toda ora murmurava alguma coisa que eu não entendia. Depois de um minuto ele parou e se dirigiu a minha tia.


- Posso?- Perguntou ele estendendo a mão, não entendi por que ele queria um aperto de mãos agora.


- Aro por favor deixe a menina ir ela não tem nada haver com isso.- Minha tia ainda estava falando quando aro deu um tapa em sua cara. Eu comecei a chorar não queria ver minha tia sofrer.


- Quando eu pergunto eu quero uma resposta.- Disse Aro num tom doce e falso.- Mas infelizmente eu já tive problemas demais com vampiros como você.- Enquanto ele falava ia voltando pro seu lugar lentamente.- Acham que tem que respeitar a vida humana quando na verdade não conseguem respeitar uma regra só uma.- Minha tia ainda estava imóvel me mantendo atrás dela.- Cometi um erro ao deixar vampiros problemáticos como você escapar.- Aro parou e virou nos encarando fez uma pausa longa, meu coração foi na boca essa era hora em que íamos morrer eu já estava contando os segundos apenas fechei os olhos e deixei que morte viesse.- Não vou cometer o mesmo erro novamente.- Ai aconteceu foi tão rápido que não sei descrever, quando vi Felix e Demetri seguravam minha Tia um de cada lado e Aro se preparava para lhe arrancar a cabeça.


- NÃO!!- Gritei com o máximo de força que pude, o desespero já tomavam conta de mim as lágrimas não paravam de sair por todos os lados do meu olho.- Por favor não!! Pegue a minha mão.- Me lembrei do que Aro queria com a minha tia e ela não quis dar, numa tentativa desesperada e inútil de tentar parar Aro e fazer com que ele faça o que pretendia antes e de mas um tempo a minha tia e a mim, logo iríamos morrer não sei porque eu estava prolongando isso, mas tentaria mesmo que fosse inútil eu tentaria nos salvar.


Por um instante deu certo, no ultimo segundo Aro parou e olhou pra mim com a mão estendida, olhou pra minha Tia e em seguida tirou as mãos do rosto dela.


- Bom acho que você deveria aprender mais com a menina.- Aro veio em minha direção, olhou pra minha mão estendida depois a pegou. Não sei dizer qual foi a sua primeiro expressão assim que tocou minha mão, se foi de surpresa, espanto, felicidade, malicia. Ele simplesmente não conseguiu parar rir e depois soltou a minha mão.


- O que foi Aro?- Perguntou um vampiro loiro que estava sentado ao lado esquerdo de Aro, sua expressão era de impaciência.


-Meu querido Caius acho que nos deparamos com a solução de nosso antigo problema mal resolvido.- Aro olhou pra mim cheio de intenções, como se eu fosse um diamante raro.


- Por favor não mate a minha tia, por favor.- Implorei a Aro quase de joelhos não entendia o porque dele estar rindo quando eu não conseguia parar de chorar, derrepente ele tinha mudado, aquele sua expressão de acabe logo com isso virou outra totalmente diferente.- Eu faço o que quiser.


- Não!- Foi o que minha tia disse.


- Acho melhor você ficar calada, antes que meu bom humor passe.- Disse Aro ainda olhando pra mim.


Não sabia o que Aro queria, não sabia o que ia acontecer mas de uma coisa eu estava certa, Aro queria algo de mim e se fosse pra nos salvar, eu daria a ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário