5 de fevereiro de 2011

Save me



Save me

Hanson (Save me): Coloque para carregar a música:





O vento passava por mim bagunçando meus cabelos afastando a dor que sentia. Não, não pode ser ela, pode?Isto não pode estar acontecendo. Ela mora muito longe daqui. Pensava enquanto corria o mais longe possível daquela escola. Estaria pagando pelas mortes que cometi?Seria esta uma punição?Questionava sobre o fato de encontrá-la novamente ainda mais ali. Nunca tinha sido bom ir para a escola, entediante, era a palavra que definia meus dias durante os horários escolares, mas depois de hoje talvez mudasse para outro.

Um significado carregado de dor, medo, insegurança. Tudo ainda está vívido em minha mente mesmo depois do tempo que se passou. Não sei dizer se o fato de parecer ter me reconhecido fora bom ou não. As vozes se afastavam e eu podia ouvir agora somente a minha. Este era um grande começo. Minhas confusões já me bastam para tentar desvendar ou agüentar. Não preciso de mais outras para atormentar minha paciência.

Imagens de um passado que não queria lembrar, porém minhas características após a transformação jamais permitiriam que eu as esquecesse. A queimação na garganta aumentou e meu monstro interno pediu, implorou-me, que eu voltasse lá e terminasse o que tanto almejei durante o tempo que me mantive longe. O aroma delicioso de seu sangue fazia-me perder a noção e abandonar qualquer cuidado. Podia sentir o gosto ao fechar meus olhos.

Puxei a ar com força tentando limpar meus pulmões daquele cheiro viciante. Ela é uma droga para mim. A mais viciante e perigosa de todas. Aumentei minha velocidade indo para a floresta. Precisava caçar e diminuir a dor implacável de minha garganta. Sentia o veneno ser liberado em minha boca somente por sentir o cheiro. Visualizar suas bochechas coradas ao fitar-me de nada ajuda, mas o seu rosto não saí de minha cabeça.

Ao sair da escola, ou melhor, do pátio escutei os pensamentos confusos de meus irmãos até a compreensão aparecer nos pensamentos de Jasper. Podia ver em sua mente a intensidade de minha sede por sangue da “garota” como ele disse. O sangue dela cantou, sempre cantava, para mim. Sento-me preso a ela. A necessidade de sentir o gosto do cheiro tão apelativo para mim. O desejo de provar o que mais chama minha atenção.

Mas eu não podia esperar e explicar depois pediria desculpas, todavia agora não. A liberdade de correr fazia-me deixar de lado um pouco a aflição ao deparar-me com ela. O baque de vê-la parada no pátio conversando com outras garotas me fez esquecer de todas as pessoas a nossa volta. Fez com que eu travasse e Jéssica comentasse algo em seu ouvido fazendo-a olhar curiosa na direção apontada pela menina a sua frente.

Seus olhos verdes encontraram os meus e ouvi a batida de seu coração falhar e acelerar numa rapidez incrível. Sua boca entreabriu-se e ela falou algo que não prestei atenção. Seus cabelos castanhos chocolate balançaram de um lado para o outro trazendo até mim seu aroma delicioso. Prendi minha respiração e fugi daquele lugar. Podia ouvir meu celular tocando insistentemente no bolso de meu casaco. Suspirei e peguei-o sem nem mesmo olhar o visor.



-Ed?Está me ouvindo.



-Sim, Ally.



-O que houve?Ficamos preocupados.



-Conversamos em casa.



Falei e em seguida desliguei o telefone procurando por minha presa. Escutei as batidas do coração de cervo próximo a água do rio e fui até ele pulando em suas costas e mordendo o pescoço ao tocar seu pelo. Alimentei dele e mais dois. O medo de machucar alguém, de machucá-la, deixa-me sem chão. Brendali, este é o nome dela. Nome que jamais esquecerei. Sentei-me numa pedra a beirada do rio e fechei meus olhos desejando dormir.

Difere o som de passos delicados aproximando-se e pude escutar as batidas descompassadas de um coração. O vento vinha em minha direção acertando-me o aroma. Ao senti-lo fiquei rígido por um momento. Era ela. As batidas do coração dela estavam aceleradas ela sentia medo. Fechei meus olhos ignorando a sua presença. A vontade de mordê-la surgiu em minha cabeça e me vi montando alguns planos para depois fingir que nunca existiram.



-Não posso fazer isto com Carlisle e Esme, eles me aceitaram de volta depois de meus erros. Não irei errar outra vez. – Sussurrei baixinho e continuei. - Não vou decepcionar minha família.



Um galho próximo a entrada do lugar onde estava estalou. O cheiro dela acertou-me como uma flecha e aproveitei a corrente de ar contrária para puxar ar limpo e respirar mesmo sem precisar. Queria sugar o máximo de ar e formar um estoque para suporta o que estava por vir. O que ela fazia aqui? Como chegou aqui?Eram perguntas que provavelmente não teria uma resposta. E o principal o que fazia no meio da floresta sozinha? Talvez, sozinha, fosse mais seguro. Retruquei-me em pensamento.

Fechei meus olhos e tentei descobrir onde ela estava. Levantei-me devagar e no momento que iria sair de lá, deixando-a uma vez mais, porém em segurança, o que eu menos esperava aconteceu. Ela saiu de trás de seu “esconderijo” e deu um passo a frente receosa se deveria ou não chegar mais perto. Como era bom escutar as batidas de seu coração, do meu coração. Há muito tempo ela o tinha consigo.



-Edward?- Chamou-me baixinho.





Ouvi-a chamar-me causou-me uma sensação de alivio, nervosismo, alegria e agonia. Uma mistura de sentimentos humanos que só apareciam em mim quando estava em sua presença. Sua voz doce e cautelosa deixou-me envergonhado por um momento. Teria ela seguido em frente? Aceito o que fiz? O que queria ali comigo?A ideia de olhar seu rosto e ver a raiva em seus olhos me tira o foco. Não sei se agüentaria.

Puxei o ar outra vez e parei de respirar antes de voltar-me para ela. Virei lentamente com medo de assustá-la. Ao vê-la o sol bateu no local onde estávamos e seus lindos olhos ganharam uma coloração dourada e podia vê-la me fitar com... Carinho? Impossível, depois de tudo ela nutrir algo assim por mim. Fitei-a nos olhos e vi que esperava por uma resposta minha e pensei por um momento se devia responder ou não. A dor nos olhos dela me fez agir.



-Brendali. – Falei e assenti calmamente.



Dizer seu nome em voz alta deu-me uma alegria há muito tempo esquecida. E notei um pequeno sorriso formar-se no canto de seus lábios. Parece que ela também se sentiu bem com isto. Um pensamento que não era meu invadiu minha mente “Tinha me esquecido o quanto ele fica lindo no sol.” Balancei minha cabeça por lembrar-me o quanto absurda ela é. Vi-a dar um passo a frente e parar voltando a me olhar.



-Como está? – Perguntou-me carinhosa.



-Hmm... Bem. – Vi-a desviar os olhos do meu. – E você?



-Indo. – Disse e sorriu triste. – Senti sua falta.



Segredou-me num sussurro e sem me dar conta um sorriso torto apareceu em meu rosto sendo correspondido pelo dela. “Ah, como senti falta desse sorriso, do meu sorriso. De perder o ar vendo-o.” E depois os pensamentos sumiram de minha cabeça fazendo-me erguer a sobrancelha dubitativamente lhe arrancado uma gostosa e contagiante gargalhada. Ver seus olhos brilhando é o melhor presente.



(ligue a música)



Loving you like I never have before(Amando você como nunca amei ninguém antes)

I'm needing you just to open up that door(E precisando que abra esta porta)

If begging you might somehow turn the tides(Te implorando, como se, de algum modo, pudesse mudar a situação)

Than tell me too I've got to get this off my mind(E me peça também, eu preciso tirar isto da minha cabeça)



É incrível como depois desses dois anos eu continue amando-a como nunca amei ninguém antes. E jamais irei amar. Queria poder ver que ela abriria a porta de seu coração novamente para mim. Será que valeria a pena? Estou disposta implorar se isto de algum modo possa mudar a nossa situação. E espero que ela me peça também. Peça que tire esta dor de minha cabeça e possamos seguir em frente. Juntos, da maneira que sempre quis.

Lamentei mentalmente o dia que fui embora. Deixando-a para trás com as lágrimas escorrendo por seu rosto. O sorriso perdido nas imagens do passado e a dor em seus olhos. Tudo estava ali na minha frente. Eu nunca pensei que diria estas palavras. E eu as falei com tanta convicção. Jamais havia pensando que precisaria dizer, mas hoje, posso afirmar que outro dia sozinho é mais do que posso suportar.



Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

Saving is what I need(Salvação é o que eu preciso)

I just wanna be by your side(Eu apenas quero estar ao seu lado)

Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

I don't wanna to be(Eu não quero ficar)

Just drifting through the sea of life(Apenas vagando sem rumo neste mar da vida)



Eu sei ao fitar seus olhos que somente você poderia me salvar. Dar-me vida uma vez mais como já fez. Salvação é o que eu preciso. Não imagino que voltemos a ficar juntos como antes, porém apenas estar ao seu lado me basta. Poder ver o brilho nos seus olhos. O seu sorriso de felicidade por situações tão bobas. A alegria feita por pequenos detalhes. Você não vai me salvar? E a pergunta que queria fazer.

Sinceramente, não quero ficar apenas vagando sem rumo através do mar da vida. Preciso de um motivo para continuar. Minha existência desde o dia que a deixei perdeu a cor, a luz, a vontade de seguir em frente. Lembro de ter voltado para a minha casa. Minha família aceitou-me novamente e saber que agora tudo poderia ser diferente. Teríamos agora alguma chance de sermos felizes? Alguém sem alma como eu merece ser feliz?



Won't you...(Você não vai…)

Listen please baby don't walk out that door(Ouça, por favor querida não saia pela porta)

I'm on my knees you're all I'm living for(Estou de joelhos, tudo que estou vivendo é por você)



Estou divido entre o que eu quero e o que é certo. Entre o meu sentimento e a razão. Sei que sou perigoso para ela e por este motivo eu me afastei. Queria protegê-la. Impedir que a ferisse de uma forma irreversível, mas como posso lutar se ela não ajuda em nada? Se ao vê-la sinto como se ao ficar longe não tivesse uma razão para seguir em frente. Desejo poder dizer a ela que nada nos impedi de ficar juntos, porém há e muito.

Você não vai... Não eu não tenho coragem de deixá-la uma vez mais. Tenho vontade de dizer: Ouça, por favor, querida não saia pela porta. E ao dizer isso ficar de joelhos olhando intensamente em seus olhos e dizer que tudo que estou vivendo é por ela. E sempre será. Mesmo longe continue cuidando dela. Tomando cuidado tentando evitar que alguém a fizesse mal sem saber que quem fizera isto fora eu.



I never thought I'd be speaking these words(Eu nunca pensei que estaria dizendo estas palavras)

Haven't gonna find a way(Nunca pensei que encontraria uma maneira)

Another day alone is more than I can take(Outro dia sozinho é mais do que posso suportar)



Brendali deu alguns passos em minha direção sem quebrar o contato visual. Estavámos calados e eu sentia um nó em minha garganta por não ter dito a verdade. Eu também senti e sinto a sua falta. Vale a pena falar? Não quero arriscá-la, mas é claro que ela não pensa igual. Sem hesitar eu fiz o mesmo e acabei com a enorme distância entre nós. Não estávamos muito perto, porém não mais distantes.



-Eu também senti sua falta, ou melhor, sinto.



Respondi-a com a maior sinceridade possível. Vislumbrei uma lágrima teimosa escorrer por seu rosto e levei minha mão até lá secando o local gentilmente. Senti-a arrepiar-se com meu toque e sorri de lado. Ela sempre me encantou com suas reações causadas por minhas atitudes. Acariciei sua bochecha vendo-as corar lindamente. Como pode ficar mais linda?Seu rosto perdeu o jeitinho de menina e seu corpo se modelou.

O desejo que antes sentia por seu sangue equiparou-se pela vontade de tê-la em meus braços. Ela fechou os olhos aproveitando o carinho e sorriu. Estava calma em paz. Exatamente o que não deveria, por estar comigo. Desejei por tantas vezes vendo-a correr assustada ao mesmo tempo em que pedi silenciosamente que isto não acontecesse. Agora, tinha de tomar minha decisão final e não mudá-la mais.



-Não sabe como é bom ouvir isto. – Falou abrindo os olhos.



-Eu sei sim. – Falei e sorri.



Brendali perdeu um pouco seu equilíbrio e para mantê-la em pé enlacei sua cintura trazendo-a para mais perto de mim. Uma corrente de ar passou por nós deixando seu cheiro impregnado em mim. Fiquei rígido por um momento até sentir um calor deslizar por meu braço esquerdo. Involuntariamente me virei para ele e vi sua mão deslizar suavemente por meu braço. Vendo que não a tirei dali e ter relaxado meu corpo subiu sua mão até chegar a meu rosto contornado meus traços.

Fechei meus olhos aproveitando o máximo o toque quente e delicado de suas mãos em meu rosto. Poderia ficar assim para sempre. Antes nunca consegui ter tanto autocontrole para ficarmos tão perto. Seria a saudade ou a força do amor que tenho por ela? Só posso afirmar que ele me dá forças para lutar contra meu pior inimigo o meu monstro interno. Abri meus olhos e encontrei um par de olhos cor de mel e levantei o rosto vendo que o tempo escurecera e voltei a fitá-la.

E ao fazê-lo senti uma gota de água descer por meu rosto e ambos olhamos para cima vendo as primeiras gotas de chuva chegar até nós. Ignorei aquilo e tomei coragem para falar o que queria. Repentinamente o céu começou a cair trazendo uma chuva forte e tentei tirá-la de lá, mas ouvi-a resmungar o que fez com que eu parecesse e fizesse o possível para entender o motivo de não sair de lá. A preocupação de vê-la doente tomou conta de mim.



-Por favor, não, não quero ir embora e ver que não está aqui.



A compreensão surgiu em meu olhar e fitei os olhos mais lindos, apaixonantes e intensos durante toda a minha existência. Eu passaria minha eternidade toda somente olhando para ela e seus traços. Seria tarde demais para mim? Se nunca disse “Me perdoe”? Não sei, mas eu iria tentar para ficar com ela novamente. E desta vez de verdade. Seus olhos estavam vidrados nos meus e eu pude sentir o medo neles e em sua voz.



Suddenly the sky is falling(Repentinamente o céu está caindo)

Could it be it's too late for me?(Poderia ser tarde demais para mim?)

If I never said "I'm sorry"(Se eu nunca disse “Me perdoe”)

Then I'm wrong, yes I'm wrong(Então estou errado, sim eu estou errado)

Then I hear my spirit calling(Então eu escuto meu espírito chamando)

Wondering if she's longing for me(Imaginando se ela está ansiando por mim)

And then I know that I can't live without her(E aí eu entendo que não consigo viver sem ela)



-Me perdoe? Por favor, por tudo o que te fiz sofrer. Eu sei que agi errado, mas me perdoa?



Disse fitando seus olhos. Então eu estou errado, por nunca ter pedido perdão. Ter feito um pedido de desculpas. Sim, eu estou errado. E agora acabei de tentar consertá-lo. Só não sei se é tarde demais para mim. Posso escutar meu espírito chamando. Ele clama por ela. Imagino agora, como muitos outras vezes, se ela está ansiando por mim. E aí, nestes momentos, eu entendo que não consigo viver sem ela.





Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

Saving is what I need(Salvação é o que eu preciso)

I just wanna be by your side(Eu apenas quero estar ao seu lado)

Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

I don't wanna to be(Eu não quero ficar)

Just drifting through the sea of life(Apenas vagando sem rumo neste mar da vida)

O nervosismo da espera me deixa cada vez mais angustiado. Vejo seu olhar perdido no meu. Como se procurasse por algo. Um sinal, uma atitude, mas o quê seria?O medo de perdê-la deixa-me assim sem saber o que fazer ou pensar. Somente fico aqui parado olhando enquanto a chuva cai sobre nós como se pudesse tirar toda a nossa dor. Apagar todos os nossos erros. Seus olhos sérios ainda examinam o meu.

Abaixei minha cabeça pensando numa maneira de fazer com que ela se sinta livre de dizer. Ficou claro com o silêncio que ela não pode. E eu entendo. Eu a magoei demais e sei que uma dor de amor deixa algumas feridas. O que mais me mata é saber que fui quem partiu o seu coração. Você vai me salvar? Quis dizer e completar Salvação é o que eu preciso. Sentia sua mão pousar em meu queixo querendo que eu olhasse para cima.



-Eu apenas quero estar ao seu lado. – Sua voz doce falou-me.



Está era a resposta que eu precisava. E acabara de ganhar. Sem pensar em nada a puxei para junto de mim deixando-nos muito perto um do outro. Levei meus lábios até seu ouvido e no caminho beijei sua bochecha que estava corada. Alisei meu nariz no trajeto fazendo-a arrepiar-se levemente ocasionando algumas risadas baixinhas minhas e umas tapas dela que de nada serviam.



Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

Won't you save me?(Você não vai me salvar?)

Won't you save me?(Você não vai me salvar?)





-Save me. – Sussurrei em seu ouvido afastando-me dela.



Esta simples afirmação ou pedido. Salva me. Era a única que expressava o que eu queria saber e sentir. Brendali é minha vida e somente ela pode me salvar. Salvar-me de uma eternidade de tédio e tristeza ou dar-me uma vida e um coração que pode por nós dois. Deslizei minha mão por sua cintura colando-a mim.

Senti sua respiração ficar ofegante e sorri uma vez mais. Não sei há quanto tempo não fazia isto, mas a sensação de felicidade deixou-me assim. Um tolo apaixonado. Um amor que nada de comum tem. Senti-a deslizar suas mãos por meus braços e subir até enlaçar meu pescoço. Seu olhar estava focado em meus lábios e eu sorri.



-Comporte-se. – Pedi baixinho vendo-a tremer.

Aproximei-me dela com cautela testando o quanto eu conseguiria chegar perto dela. Uma guerra entre os meus desejos aconteceu dentro de mim. O desejo pela sede de seu sangue contra o desejo por ela. Por seu corpo, seu beijo. O último mostrou-se maior conforme mais próximo a ela eu chegava. Sua respiração entrecortada mostrou-me o quanto ansiosa também estava.

E, por fim, selei nossos lábios num beijo calmo e carinhoso. Uma de suas mãos subiu para meus cabelos puxando-os levemente enquanto a outra no pescoço fazia um carinho. Eu tomei com mais força pela cintura deixando-nos sem nenhuma distância. Fiz um caminho de beijos até sua orelha e falei.



-Obrigado por salvar-me.



-Não há de quê. – Respondeu-me sorrindo.



-Eu amo você. – Disse por fim.



-Eu também eternamente.



-Eternamente.



Palavra que não sei se terá para ela o mesmo valor que tem para mim, mas espero sim. E beijei-a uma vez mais terminado com um dos desejos por ela. O único desejo que de fato queria acabar. O desejo de tê-la comigo. Para sempre.



~ Fim ~

Nenhum comentário:

Postar um comentário